História Kwan Kun

KUNAN KUN é uma lenda. Seu sobrenome era Kuan e seu nome Wan Cheen. Kun, na china, significa muito respeito. Após rei, esta era a palavra de categoria mais alta em termos de classe. Daí o nome kuan kun, cantonês.
Tim Koh-Siy Dol é a época á qual nós referimos. Ao pé da letra significa tempo de estado de guerra.
A lenda conta que kuan kun veio ao mundo como um santo. Sua mãe, certa vez, sonhou que algo parecido com um sol entrou em sua barriga e, a partir daí sentiu-se grávida.

Ao nascer, kuan kun chegou dentro de um ovo vermelho como sangue. Seu pai pertencia ao exército, como um cargo de alto escalão. Ao ver o ovo ficou enfurecido, achava que aquilo não podia ser gente, que não era coisa certa que talvez fosse até um animal – sem pensar usou uma faca para matar o ovo. É este, como todo ovo, deveria ser chocado antes kuan kun nascer.
Entretanto como ainda não era o tempo certo para ele sair e seu pai cortava o ovo, o menino não nasceu comum: seu corpo era normal, como o de qualquer criança, más o rosto era vermelho- completamente vermelho.
Já adulto, conta-se que sempre uma pessoa correta, que não admitia mais procedimentos. Nunca praticou más ações porém chegava a ser bruto para reprimir pessoas ruins.
Atingiu o cargo de general no exército e era um excelente lutador. Nunca perdeu uma luta.
Sua arma, criada por ele mesmo e sua especialidade, era o kuan tou. A original pesava, mais ou menos, cinqueta quilos.
Corajoso e de espírito puro, gostava de disciplina e era muito inteligente.
Por tudo isso, os lutadores chineses em geral acreditam que ele proteja as academias e todos aqueles que lhe dedicam o respeito que merece. Contudo, na china não são apenas os lutadores que convidam o espírito de kuan kun para protegê-los é comum ver seu quadro em estabelecimentos comerciais, delegacia, pastelaria, etc. inclusive, aqui no Brasil, muitos chineses comercias mantém esta tradição.
A kuan kun , sendo um protetor oriental, são lhe dedicadas festas, incensos, oferendas de alimentos, presentes, enfim, tudo conforme manda a tradição. Quando o seu espírito é invocado, acende-se uma luzinha vermelha, que significa que o protetor está presente a qual não se apagará mais. Acredita- se que, se esta luzinha se apagar, o espírito irá embora.
O fato da luz vermelha é em homenagem á cor de seu rosto e é considerada como espírito do sol {o próprio kuan kun conta a lenda que este protetor morreu de velhice e após a sua morte aparecia constantemente a seu soldados. Daí a ser considerado o protetor dos lutadores.
Em uma de suas aparições kuan kun disse: disciplina, coragem e espírito, são essenciais ao verdadeiro homem.